top of page

SEM CENSURA NATÁLIA LEAL- AGENCIA LUPA - ESCLARECE DÚVIDAS SOBRE AS F@KE NEWS 30/05/2024 - fake news fact checking busca reversa sem censura

Atualizado: 14 de jun.


fake news fact checking busca reversa sem censura
fake news fact checking busca reversa sem censura

Rio de Janeiro, 30 de maio de 2024 - A Agência Lupa, especializada em checagem de fatos no Brasil, foi um dos convidados do programa "Sem Censura" apresentado por Cissa Guimarães. A jornalista e CEO da Lupa, Natália Leal, destacou a atuação da agência na verificação de informações e na promoção da educação midiática para combater a desinformação nas redes sociais.

"A Lupa trabalha de duas formas: através do jornalismo, fazendo checagem de fatos e verificação, e através da educação, promovendo o pensamento crítico e a responsabilidade na produção de conteúdo", explicou Natália. A agência identifica informações virais nas redes sociais e, com dados públicos e fontes qualificadas, devolve ao público a veracidade ou falsidade dessas informações. Esse trabalho minucioso envolve consultas a bases de dados públicas e técnicas de jornalismo investigativo.

Natália enfatizou a importância da busca reversa como ferramenta essencial na verificação de imagens. Utilizando buscadores como o Google Imagens, a Lupa consegue identificar a origem e possíveis manipulações de fotos e vídeos que circulam online. "A gente pega essa peça e destrincha ela, verificando os dados e mostrando a verdade por trás da informação", afirmou.

A recente manutenção do veto presidencial à lei de fake news foi abordada no programa, com Natália argumentando que a legislação por si só não resolve o problema da desinformação, que é multifacetado e envolve aspectos sociológicos e antropológicos. Ela defendeu que a regulação das plataformas digitais deve ser o foco principal, pois elas são grandes vetores de disseminação de desinformação.

Durante a conversa, foram apresentados exemplos práticos de checagem de informações falsas. Um vídeo viral de uma suposta tsunami no Rio Grande do Sul foi desmascarado como sendo de um evento ocorrido na China em 2011. Natália ressaltou a importância de olhar para detalhes como placas e estruturas que podem indicar a verdadeira localização das imagens.

Foi destacado também o papel da Lupa em momentos críticos, como as eleições, onde a desinformação pode influenciar significativamente o resultado. Natália alertou para o crescente uso de inteligência artificial na criação de conteúdos falsos, que se tornará um grande desafio nas eleições de 2024.

Para ajudar o público a identificar fake news, Natália sugeriu observar as reações emocionais provocadas pelas informações e usar ferramentas de busca para verificar a veracidade dos conteúdos. Ela reforçou a importância de confiar em veículos de jornalismo sério e fazer denúncias de desinformação diretamente nas plataformas.

A Agência Lupa, com seu compromisso com a verdade e a transparência, continua a ser um pilar essencial na luta contra a desinformação no Brasil, educando e informando a população para que todos possam navegar no vasto mar de informações com mais segurança e discernimento.

-

-


Natália Leal CEO da agencia lupa no programa "Sem Censura" da TV BRASIL. 30/05/2025 - Esclarece dúvidas Sobre as F@ke NEWS. - Programa Completo : https://www.youtube.com/watch?v=fUtsvdlRkNI&t=344s - https://linkin.bio/agencialupa/ -

fake news fact checking busca reversa sem censura

Assista :



Como Fazer o Fact Checking e a Busca Reversa :




Transcrição :

A Lupa trabalha de duas formas através do jornalismo a gente faz checagem de fatos e verificação. Ou seja a gente identifica o que tá acontecendo que tá bombando ali nas redes sociais e com dados públicos com informações eh qualificadas a gente devolve essa informação dizendo o que que é falso, o que que é verdadeiro dentro do ambiente de redes sociais e através da educação, a gente tenta aí é aumentar o pensamento crítico trabalhar, né a responsabilidade da produção de conteúdo em redes sociais também com conteúdos dentro das plataformas, mas atuando junto à escolas formando Novas Novas audiências, né? Trabalhando com públicos que estão expostos, né a desinformação todos nós estamos né de a gente monitora o ambiente digital o tempo inteiro através de ferramentas que a gente mesmo desenvolve ou que a gente tem acesso é em parceria com plataformas digitais ou com iniciativas de pesquisa que desenvolvem ferramentas e aí a gente ver o que que tá bombando, o que que tá sendo mais compartilhado, o que que as pessoas estão

engajando mais comentando mais curtindo enfim, né? Se fazendo o debate ali nos comentários. E aí a gente pega essa peça e destrincha ela né? Ver o que que tá sendo dito. Ali vai atrás dos dados, então a peça diz dois mais dois é igual a 5 a gente vai lá e mostra porque que não é igual a 5 é igual a quatro, né? Então a gente vai fazendo isso com dados públicos com reportagens a gente consulta Fontes é um trabalho de jornalismo em profundidade, né com as as técnicas de checagem que são próprias do jornalismo aplicadas a um novo gênero que a gente informa aí com as etiquetas com é uma marcação, né? Do que que é falso, o que que é verdadeiro no mesmo ambiente a gente devolve para as plataformas é digitais a informação verificada busca reversa é assim, a gente pega uma imagem que está circulando, né? Salva ela e sobe ela numa numa buscador como o Google Imagens, por exemplo. A gente vai lá e digita Google, né? E pega o buscador de imagens colocar esse arquivo lá.

o Google vai fazer uma busca no seu próprio arquivo e mostrar se é a primeira vez que aquela imagem tá aparecendo. Qual foi a data que ela apareceu pela primeira vez se tem algum tipo de manipulação naquela imagem se ela foi gerada por inteligência artificial, tem várias ferramentas que fazem isso, né? O Google é uma delas, mas tem outros buscadores também que fazem e tem ferramentas próprias que a gente usa que tem muito mais profundidade na busca, né? E aí são ferramentas que a gente usa lá no nosso trabalho a agencia lupa recebeu essa notícia, né? Quentíssima da votação do congresso, né que Manteve o veto do ex-presidente Jair bolsonaro a lei de fake News como você receberam isso. Eu não fico trabalho de vocês a verdade André é assim é a gente sempre teve uma perspectiva de que a legislação né? Ela não é o suficiente para resolver esse problema, né? O problema da desinformação, ela é muito mais complexo do que uma questão Legislativa ou mesmo do que uma questão do jornalismo, né? Muitas vezes a gente como jornalista acha que se a gente fizer.

uma Prática melhor se a gente se comunicar melhor se ampliar comunicar com mais audiências, a gente vai resolver não vai resolver. Porque fake News é um problema muito ligado à sociologia antropologia outras dimensões é da nossa sociedade, né? Então eh a legislação ela tem que ser focada na regulação da atuação das plataformas é de redes sociais, né? É isso esse é o grande problema que a gente tem hoje as pessoas tratam as plataformas de redes sociais como a nova praça pública e ela e elas não são a nova praça pública, e elas não são a noca praça pública não tem o sócrates ali, não tem a gente precisa ter sempre em perspectiva que elas são de dominação Econômica né? Elas são instituições privadas que tem pouquíssima transparência nos seus algoritmos ou no que elas fazem efetivamente para combater todos os problemas que elas ajudaram a causar, né? Então a regulação tem que estar um pouco mais focada.

É a legislação, tem que estar mais focada nisso do que propriamente no nosso trabalho. O nosso trabalho vai ser feito do mesmo jeito, né? A gente consulta bases de dados públicas, a gente aplica técnicas do jornalismo que estão aí há muitos anos, né em profundidade e a gente está sempre buscando se comunicar de formas diferentes e construir novos públicos usando todos os artifícios que a gente tem, né? A gente já vê pela marcação lá em cima. A gente já percebe que ela não é do Rio Grande do Sul, né? é da china se não estou enganada esse vídeo , esse lugar não tem aqui gente Isso é uma tsunami que teve não foi é exato. E aí assim até eu morei muito tempo em Porto Alegre, né? É o meu sotaque me denuncia e em Porto Alegre tem uma estrutura semelhante a essa é tinha né? Próximo à rodoviária. Então assim dá pra confundir mas aí quando a gente vai para a ampliação da imagem, gente não tem cabimento assim, né? Claro que a imagem que o cara.

que tá botando a pessoa que tá botando vai procurar algum fundo de verdade, né? Mas essa daí tá muito poderosa já com aquela letrinha toda lá é já de cara a gente consegue cara, né? cissa não é uma uma informação. Isso foi em 2011 gente uma tsunami. Olha que doideira e dizendo que foi aqui no Rio Grande do Sul, né? Dá para a gente vai enxergando assim, por exemplo aquela placa ali do lado é ela é um ela usa um outro tipo de alfabeto ali, né? Se a gente aproximar na busca reversa é possível perceber a estrutura das casas a gente sabe que isso não aconteceu, né lá no Rio Grande do Sul dessa forma. Olha aí e tem um outro esse daí dos animais também. Esse daí esse é de outro estado, né? Uma imagem antiga de Goiás, eu não tô enganada é e também assim a gente sabe que teve Alguns alguns casos desse tipo, né lá no Rio Grande do Sul, mas essa imagem ela já circulava na internet antes da tragédia no Rio Grande do Sul. Então essa é uma coisa.

A gente consegue identificar a partir de busca reversa e isso daí esse daqui eu acho que esse daí esse que é de Anápolis, sabia? Eu não sei não não esse é aquele. Ah não. Esse aí é inteligencia artificial cissa. Ah, esse é a inteligência artificial, né? Ali o escudo, né? O brasão eh que deveria remeter aí a Seleção Brasileira, né? Completamente falsa essa imagem gerada por Inteligência Artificial usada para propagar essa ideia de que é o povo pelo povo de que civil salva civil e fazer uma oposição entre as ações do governo e o que estava sendo feito realmente pela população que é importantíssimo, mas que também é. Depende de uma ação de governo, né para funcionar. Então essa peça circulou muito em grupos de WhatsApp grupos de telegram e muito é em grupos politicamente posicionados assim agora que medo que essa imagem não existe não, ela não existe.

Que ela é é gerada a partir de um pedido que a gente faz para uma máquina, né? Olha que doidera gente e vai ficar cada vez mais comum, né? Se isso a gente vai ficar cada dia mais comum e como é que é isso acontece isso com as eleições, por exemplo é o grande desafio Stella que a gente tem nesse momento, né? A gente tá mais hã ambientado com a a tecnologia e com a inteligência artificial, né? Tá mais possível para quem tem o interesse de manipular informação criar peças a partir da Inteligência Artificial. Então a gente tem uma um Alerta enorme agora para 2024 que são os áudios manipulados os áudios são a mídia mais difícil de verificar porque a gente consegue verificar o conteúdo do áudio, mas é muito difícil atestar autenticidade a partir dos padrões de voz, né? A gente sempre precisa ter uma amostra da pessoa que está é para quem está sendo creditado aquele áudio, né? Para daí fazer praticamente uma investigação forense assim, né? Do que que se realmente aquilo.

É corresponde àquela voz aquela pessoa então os áudios assim eh são o grande pavor do do de quem tá tá trabalhando com desinformação agora dentro do contexto eleitoral é o grande o grande susto assim, né? O grande Alerta que a gente tem e como é que a gente pode a gente perceber assim umas dicas que você pode ajudar a gente assim a dizer Recebi uma imagem a gente viu ali no Japão no fato da das letrinhas serem umas letrinhas que não são do nosso alfabeto. Mas enfim o que que a gente pode ficar mais atento no caso no caso da Inteligência Artificial assim, principalmente padrões de sincronia, né? Então Muitas vezes os vídeos gerados por Inteligência Artificial, eles são dessincronizados o movimento da boca o movimento dos olhos e o áudio, né? Então isso não é tão fácil de perceber, mas é possível perceber, né padrões também como esse que a gente viu no vídeo de que deveria remeter ali ao brasão da seleção brasileira, mas que não é então a gente identifica trocas de letras é letras de um.

alfabeto que não é o nosso isso também aparece nas marcações eh dos vídeos, né? E assim. Ah muito cuidado se a gente tá dentro do ambiente digital também com os comentários, né? Olhar ali um pouco os comentários também ajuda ter uma ideia daquele contexto, né? E aí a gente pode salvar um frame, né? Fazer uma um print desse vídeo e na busca reversa então passo a passo da busca reversa porque eu acho que de utilidade pública, né? A gente precisa disso sobe do É entra no Google, né? O Google é a ferramenta mais fácil de usar para isso. E aí ele vai ter um botãozinho lá para tu fazer o upload da Imagem. E aí sobe a imagem ali, né? Procura dentro do seu do seu arquivo do computador e gera dar o Play e ele vai fazer o trabalho www.lupa.news. de notícia, ou em todos os todas as plataformas de redes sociais a gente

Também tá no Tik Tok está no Instagram no X no Facebook assim importante fundamental agora e essas informações que a gente recebe pelo WhatsApp. Hum que que a gente faz com aquilo, pelo amor de Deus. Como é que saber se é verdade mentira, seu bloqueio aquela pessoa você morre com aquele lugar se eu fico histérica se eu choro se eu berro , não vamos brigar com as pessoas por causa da desinformação, né? Eu sempre falo assim que a gente tá vivendo um momento que a informação que deveríamos aproximar torna a gente inimigos das pessoas que a gente ama inclusive, né? Porque é muito difícil lidar com alguém que tá o tempo inteiro te é enviando informação que não é confiável, então o primeiro passo quando a gente recebe alguma informação é no WhatsApp, se possível se for uma notícia se for um link procurar é na em outras plataformas, né procurar na internet e tentar identificar nem pensar em apertar no link, né? E pensar preferência não, né? Assim a menos que seja um endereço que tu já

tem familiaridade que tu já conhece de um jornal ou de um veículo de imprensa de um blog alguma coisa que tu já tá acostumado a consumir e sabe que é confiável se é um link que tu nunca viu? Aquela estrutura então melhor não clicar direto abrir um buscador, né? E aí tentar encontrar a informação que está sendo é disseminada através daquele link então se a informação diz 2 + 2 = 5 Joga lá dois mais dois igual a cinco no buscador e ver o que que aparece É Na Busca, né? Os sistemas de busca mais comuns hoje, eles estão ficando um pouco defasados em função dos índices patrocinados. normalmente os primeiros resultados que a gente tem quando a gente buscar no Google são resultados patrocinados. Quem produz desinformação. Tá bastante atento a esse movimento e usa isso é para também disseminar informações falsas, então é a minha dica mais recente. é

Descartar os primeiros resultados que tem a sinalização de patrocinado e eh prestar mais atenção nos resultados que estão dentro de um espaço de Notícias que é um espaço bem fácil de reconhecer no Google que é parece um. cardzinho com um textinho embaixo então assim ele está encima dos resultado comuns e esses são o resultados mais confiáveis dentro dessa busca por informação a gente não consegue atender tudo mas a gente prioriza o que tem mais pedidos o que tem maior viralização também nas redes sociais a partir desse monitoramento que eu falei antes que a gente já não respondo numero que eu não tenho salvo em contato eu já tenho um medo danado porque pode ser golpe né? bloquear já na hora a gente tem mais um vídeo aquele

Que eu achava que era de Anápolis antes da Inteligência Artificial que eu queria ter que passasse. Olha lá, você conhece esse daí, Natália, não me lembro se eu cheguei a ver esse vídeo, eu acho que a água Olha lá. Ah sim a água barrenta, né? Ela vem assim destruindo tudo mas dizendo que era no Rio Grande do Sul é no Rio Grande do Sul. Isso foi em Anápolis e também já estava circulando antes, né? As datas são fundamentais pra gente 2021 lá encima exatamente, né? Aquela data lá 18 de novembro, né de 2021 aí como que a gente faz, né? Nesse caso. Cissa além da gente procurar provavelmente vai procurar aquela data e vai tentar encontrar a origem, né do quem compartilhou primeiro a gente consegue fazer isso com algumas ferramentas que a gente tem. E aí qual é a melhor forma teve realmente uma enchente em Anápolis nessa data se teve os jornais vão dizer né? Quem tá cobrindo vai dizer, essa é uma informação confiável.

Ajuda a eh desmentir esse vídeo a desestruturar essa mentira que está circulando, né? Agora ensina pra gente aqui, como é que a gente faz para denunciar uma fake News direitinho eu ligo para lupa. Ah também pode desligar eu vou ligar um dia sim um dia não pode ligar Estela tem problema, pode ligar pode mandar para a gente mas também as próprias plataformas. Elas têm mecanismos de denúncia. Porque como a gente sabe as plataformas de redes sociais são um lugar onde a desinformação mais se dissemina então quando a gente vê uma informação que é falsa dentro das plataformas é importante também fazer essa denúncia ali naquele ambiente então normalmente as publicações. Elas têm aqueles três pontinhos em cima, né bloquear e denunciar. E aí algumas delas tem uma denúncia direta por desinformação conteúdo falso ou o conteúdo de discurso de ódio etc, outras não tem mas tem ali outros motivos e a gente pode explicar no site da lupa.

A gente tá sempre atualizando um conjunto de orientações que a gente tem de como denunciar essas eh esse tipo de informação no ambiente de redes sociais. Então vale dar uma olhadinha lá também. Qual foi a verificação mais difícil que você já fez? E se você não lembrar como o que que faz uma uma fake News tão difícil de de verificar se for quais são isso parâmetros a coisa mais difícil André é quando a gente vê uma mentira contada com dados verdadeiros por exemplo, porque isso é possível, né? Quando a gente teve por exemplo durante a pandemia de covid-19, a gente teve uma mudança de olhar, né da informação oficial ao invés de divulgar os dados de pessoas que tinham morrido de covid-19 passou a ser divulgar os dados, né? O governo federal passou a divulgar os dados das pessoas que tinham se recuperado da doença e havia um consórcio da empresa, né? A imprensa eu ia dizer a gente resolveu não né?

o jornalismo, eh se juntou ali pra ajudar né dar transparência para isso para o que era o dado que dá a dimensão de uma pandemia como essa né, então o dado de pessoas recuperadas, ele não é um dado errado e ele não é um dado mentiroso. Mas se a gente olha para isso somente e vai ser muito maior do que o número de pessoas que vão eh que vão morrer a gente perde a dimensão desse né? Do que tá acontecendo da gravidade da gravidade do que tá acontecendo. Então qualquer desinformação que tenha essa característica, né que ela traga dados verdadeiros, mas que levam para uma conclusão falsa é uma distorção da narrativa uma manipulação do debate. Ela é muito difícil de ser feita e assim as pessoas também tem uma ideia de que uma opinião diferente da minha é fake News é desinformação e não necessariamente, né assim. Acho que a opinião o limite dela tá muito mais no discurso de ódio do.

que na desinformação né então. Eh, se tu diz que eu sou feia, eu não posso alegar que tu tá fazendo fake News, entendeu? Pode ser a tua opinião. E aí tá tudo bem? fake news total Cada um e assim, né? Tem a sua opinião, mas Hã Não dá para a gente simplesmente porque discorda de uma informação ou de uma visão dizer que aquilo é fake News e tratar é assim daqui para frente, né a regulamentação das redes sociais aqui no Brasil. Que que você acha? Como é que tá esse debate? O que que você acha que pode a gente avançar nessa discussão em termos desse cuidado com as fake News é a gente precisa ter uma regulamentação precisa ter porque assim o que é crime no mundo real. Tem que ser crime no no ambiente digital também, né? É tem que ter uma transparência essas plataformas. Como eu disse antes, elas são empresas todos os setores. Têm algum tipo de regulação, né? Não é porque elas não têm sede aqui ou são empresas globais que elas não estão sujeitas também ao regramento

Jurídico brasileiro então. Eh elas precisam melhorar nesse aspecto, né? Precisam debater um pouco mais e serem mais parceiras também da sociedade. Eh são empresas que disputam o mercado dá atenção esse mercado, né? Muito valioso, não existe nada mais valioso na nossa vida que o nosso tempo e a gente tá empregando o nosso tempo ali dentro e isso interessa para elas não só por uma questão de é e-commerce não é apenas para vender produtos, né? Mas também para vender ideias e isso está sendo usado é muito fortemente por o governos por é movimentos políticos, então precisa ter uma limitação do que que pode o que que não pode ser feito isso ainda é muito muito difuso assim em termos de regramento, né? E a gente precisa que elas cumpram as diretrizes que elas mesmas determinam, né? Porque muitas vezes todas as plataformas tem as suas diretrizes de comunidade, mas a gente denuncia a gente pede para diminuir o alcance a gente pede para tirar determinadas informações do ar porque elas são

prejudiciais ao debate prejudiciais à vida das pessoas e essas diretrizes não são cumpridas. Então eh tem a gente precisa colocar um pouco mais de discussão um pouco mais de empenho nessa discussão o fact checking na verdade é a checagem é fact checking é que a checagem de fato de fato. Isso é como a gente começou, né? A Lupa começou fazendo fact checking a checagem de fatos é uma técnica jornalística que se transformou num gênero que é a checagem do discurso dos políticos. Então a gente vê muito fact checking durante eleições, né? Nos períodos de debates agora a gente tá entrando numa eleição aí Municipal vai ter sabatinas de todas as capitais. A gente vai estar checando também vai estar olhando vai estar tudo lá no site da lupa. Então a gente vai acompanhando o que os políticos Estão dizendo. E aí a gente vai classificando de acordo com os dados públicos, o que que é falso? O que que é exagerado? O que que é verdade? O que que precisa de mais contexto? Quando que ele está se contradizendo né? E isso vai dando é para o Pra audiência.

Para o leitor para quem tá acompanhando um Arsenal ali de informações para que na próxima vez que ele for exposto exposto, né? Aquele discurso daquele político, ele já saiba que aquilo ali não é correto e é um a gente consegue descobrir os autores, né? Mas a denúncia que a gente faz ela tá muito mais restrita ao ambiente da plataforma, né? Quando a justiça é acionada, a gente não move processo contra autores, né? O nosso trabalho é o jornalismo. Mas é uma vez identificando advogados MP etc podem usar o nosso material para processar pessoas que estão disseminando desinformação, então a gente é acionado muitas vezes assim para fornecer subsídios para processos jurídicos para que as pessoas sejam responsabilizadas pela desinformação que elas estão é que elas estão colocando nas redes sociais e a gente também é muito processado por autores de É desinformação sim, porque dizem que a gente ou tá

Drenando financeiramente tá tirando ali algum tipo de poder econômico, né? Que eles têm pelas contas que usam nas redes sociais ou porque estamos dizendo que estão mentindo e isso ataca a honra. Eh, a gente tem alguns processos por aí correndo não é incomum, né, jornalistas que se dedicam é a a a checagem a verificação tão bastante expostos sim a esse tipo agora Natália. Acho fake News normalmente, elas vêm com uma coisa assim bem como se fosse uma gramática de imprensa assim de jornal, né? Parece que a gente pensa vem com até com um lobos de de reportagens sites, não sei o que você acredita. Como é que você sei lá, como é que você faz olhar aquilo vemos uma coisa do site que você está acostumada a ver todo dia para checar as coisas. Aí você recebe como é que o cidadão identifica-se ali real ou não primeiro entrando no site mesmo e vendo e tá se aquela notícia tá lá, né? Tem algumas marcas bem famosas é. desconfiou

Vai lá no site. Não nessa pode ir no site da lupa, mas se é uma marca que já tá acostumado a né um veículo com o qual já está acostumado pode entrar lá no site e procurar né? Se vem o link o link é sempre uma um indicativo, né? E eu acho bastante curioso isso porque uma das táticas mais comuns de desinformação é desacreditar a imprensa, né? Porém uma das táticas mais comuns de propagação de desinformação é usar o próprio discurso da empresa então assim né? É uma é muito contraditório tudo é muito contraditório uma coisa que eu acho poderoso também nessas fake News é que sempre tem assim um conteúdo muito alarmista é sempre uma coisa assim. Apocalíptica é catastrófico .é muito a coisa do se você não compartilhar ninguém vai saber, né? Isso é uma coisa que ninguém quer que você saiba Grande a imprensa não quer que você saiba coisas Nesse sentido porque porque a desinformação ela não é um processo racional, né acreditar em

fake news é um processo emocional então tudo que toda a informação com a qual a gente tem contato e fica muito feliz muito triste com muito nojo com muito medo. A gente precisa prestar atenção, a gente tem que se observar na relação com a informação eh para tentar ter esse primeiro indício de que aquilo possa ser ou não uma desinformação porque elas causam é um efeito muito emocional, né, o medo de pânico. Mas é isso né você odiar, né? Mentir e odiar é muito rápido muito fácil, porque não requer raciocínio, né? e Pensamento verificar requer tempo exatamente pensamento arrasou dá trabalho agora se por exemplo a gente tem 2024 por exemplo, alguém pode pegar uma personalidade a cissa por exemplo com um vídeo e fazer a cissa falar para votar em um candidato um vereador um prefeito com a i.a né tá fácil como verificar essa quantidade de informações para este ano por exemplo como não acreditar ou como acreditar é esse meu pavor esse ano de verdade porque assim

Os braços para verificação não são o suficientes eu acho a quantidade de fake News que vão surgir com certeza concordo. Então a gente tem quase 6.000 eleições, né? É São 5.500 eleições diferentes cada uma com seu tamanho cada uma é com seus candidatos É impossível mesmo se a gente juntasse todas as equipes que se dedicam à verificação no Brasil. A gente não daria conta né? Então a gente só tem uma alternativa que é contar com a população, né contar com a audiência para não disseminar para se observar pra tentar. Ah fazer essas buscas usar essas táticas que a gente usa também é para verificar se uma informação é verdadeira ou não, né e confiar. Principalmente nos veículos é de jornalismo que são sérios, né? Porque é muito pouco, eu sempre digo isso. Isso é muito pouco provável que a minha mãe lá no interior do Rio Grande do Sul. Tem uma informação sobre o governo federal que um jornal de referência não tem né? Então assim eles a gente estuda para fazer.

Isso né? O jornalismo tem ética jornalismo tem uma série de procedimentos então. Eh é uma fonte de informação confiável e precisa ser valorizada então hã, a gente conta muito com o homem também o bom senso nem sempre contar com um bom senso é uma boa maneira, né de porque é difícil as pessoas às vezes não tem mas a audiência é fundamental assim para a gente para a gente conseguir dar conta encontrar formas de trazer para o Brasil, né? Para os nossos conceitos brasileiros assim porque fake News pode ser uma mentira, mas também pode ser um boato que não se confirma pode ser uma narrativa distorcida. Pode ser uma informação uma assim que uma informação falsa construída a partir de dados verdadeiros, então não existe academicamente um conceito do que é fake News até por isso a gente usa muito mais o termo desinformação que é a informação que de alguma forma faz o contrário, né do que ela tá destinada a fazer é mas fake News. é um termo

Muito popular e ele inclusive é usado para atacar a imprensa, né lá em 2016 quando o trump se elegeu Donald trump nos Estados Unidos, eh muitos se popularizou em cima dos discursos dele, né acusando veículos de referência como New York Times de fazerem em fake News "you're fake News" ele dizia né? Então assim é é uma é uma expressão que é usada também para diminuir a importância do trabalho é jornalístico, porque a tradução dela é notícia falsa, né? A gente usa também essa essa tradução notícia falsa conteúdo falso informação falsa. Mas se a gente parte do pressuposto do jornalismo de que a notícia é baseada no fato e o fato é sempre verdadeiro, então fake News não existe né? É uma expressão que não existe é contraditório então o primeiro ponto de atenção é essa linguagem de urgência né? A linguagem de urgência, você tem que compartilhar agora o pedido de compartilhamento compartilhe para que a maior parte maior maior quantidade.

Pessoas fiquem sabendo eh, se você não compartilhar ninguém vai saber eh a grande imprensa não quer que você saiba o governo não quer que você saiba todas essas Eh esses pedidos. Eles são muito característicos, né? É coisas muito absurdas assim. Às vezes a gente cai em coisas que são muito absurdas, né que não estão nem passam pela nossa cabeça, a gente fica pensando assim. Mas será que isso aqui é verdadeiro? E aí Repassa na dúvida, a gente tem um bordão na lupa que é na dúvida não compartilha, né? E antes de ter certeza tenha dúvida porque assim é a gente precisa também dar um passo atrás, quando recebe esse tipo de informação muitas vezes as pessoas compartilham porque querem proteger as os seus amigos os seus familiares, etc, eu vou compartilhar na dúvida eu vou compartilhar porque vai que seja verdadeiro não a gente precisa parar esse medo exatamente essa cadeia de compartilhamentos é a melhor maneira assim então percebeu que tem alguma. dessas

Características que tá ali num link que não é confiável que não tem nenhuma atribuição de fonte assim, né? A gente não sabe não tem assinatura de repórter não tem eh nenhuma atribuição de quem é que tá falando aqui muitos áudios são assim, né? Ah, eu tô aqui na rua tal, mas não diz quem é a pessoa não. Diz. Da onde ela veio não disse né? dr fulano Então é então assim né tentar descobrir se aquela pessoa encontrar aquela pessoa, né? Se é se é realmente verdadeiro se é real, mas antes de fazer né antes de fazer isso para né não compartilha a primeira coisa respira. E aí depois vai olhar nessas essas essas características para daí ter certeza se é verdadeiro ou não e procura na lupa, né? A gente tá aí para fazer esse serviço, adorei Natália. Ah, eu não sabia da lupa toda vou entrar na lupa




Rick Artemii.

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page